Continuando... =)


________________________________________________



Capítulo 14: ??

Tradução: Equipe Kokoro Lovers
Revisão: Lena.
---------------------------------------

“Porra, eu não acredito que você fez isso. Você ainda está com raiva de mim pelo que fiz quando estávamos lavando minha moto, não é?” Eu resmungo para ele enquanto torço minha camisa encharcada. Mesmo que o clima esteja quente, estou com muito frio, já que estou todo molhado. No final, eu não tive escolha além de tirar minha camisa e deixa-la secar.
“E quem diabos pediu para você dormir naquele local? Como eu iria saber que algum canalha estaria lá?” Não existe acordo com esse encrenqueiro. Suas respostas são intermináveis. Ainda assim, ele me entrega uma toalha do escritório do conselho estudantil.
“Aquilo era água suja?”
“O quê? Não! Era água destilada. Eu estava trocando a água e aquela ficou no fundo, então eu quis jogar fora.”
Eu espero que ele esteja dizendo a verdade. Eu aceito a pequena toalha e rapidamente começo a me secar. Tenho a intenção de deixar meu corpo seminu secar naturalmente, permitindo que o ar condicionado do escritório do conselho estudantil faça todo o trabalho. Enquanto isso, Om já deve ter voltado para a aula. Mas antes de sair, ele me deu uma longa palestra de como o lugar que eu escolhi era ruim e que eu era a razão pela qual ele não poderia aproveitar matar aula. Então eu sou o único responsável por tudo isso de alguma forma?
Enquanto eu reclamava do Om em minha cabeça, eu consigo sentir uma grande toalha sendo jogada na minha direção. “Use isso para se cobrir.” Phun me diz.
Eu seguro a toalha meio intrigado. “Eu só preciso usar esta, é o suficiente para mim.”
“Use aquela também. Use... E se cubra.” Do que diabos ele está falando? Por que eu preciso me cobrir?
Parece que ele consegue ler o olhar atordoado em meus olhos. “Você pode ficar com frio.” Oh, entendo. Concordo com a cabeça antes de jogar a toalha sobre os meus ombros e volto a secar meu cabelo. Felizmente minhas calças não molharam, caso contrário eu estaria ferrado.
Conforme o tempo passa, só há o som do ar condicionado preenchendo o escritório. Já está começando a ficar estranho.
“Você não deveria estar na aula?” Eu decido quebrar o silêncio.
“Vou esperar você se secar primeiro.”
“Sua febre voltou?”
“Não...”
“Então porque você estava me ignorando hoje...?”
“.......................................”
Aquela pergunta não era algo que escapou sem querer pelos meus lábios. Eu queria muito perguntar isso. Eu olho nos olhos dele. Quero que ele saiba que não é como se essa situação não estivesse me roendo.
Phun olha na minha direção antes de se virar e pegar um caderno sobre a mesa.
“...Você pode trancar tudo depois que terminar? Eu tenho que ir para aula.” Esta é sua resposta.
Ele está me dizendo que não quer mais alguém como eu como amigo.
***
Na realidade, a maioria dos alunos provavelmente gostam de passar o tempo fazendo isso depois da escola. Eu não sou um deles. Eu fico paranoico se alguém me liga e me convida para sair.
Dizem que quanto mais você fica com medo de alguma coisa, mais essa coisa aparece pra você. Então a Yuri é uma pessoa real ou um fantasma? Sempre que eu sinto um calafrio na espinha, ela sempre me chama para ir a algum lugar.
Fomos a Siam de novo, com ela segurando meu braço. Yuri continua conversando alegremente como se estivesse competindo com a música que está tocando na loja. No entanto, nenhum desses barulhos está me alcançando.
Ainda estou pensando no que Phun me disse e na forma como ele agiu, o que tem me incomodado o dia todo. Estou fazendo isso mesmo sabendo que nada de bom possa vir dessa situação.
“Noh, você acha que isso é fofo? Eu queria que fosse rosa, mas laranja também é bonito. Deveríamos comprar esses dois? Você pode ficar com o azul. Noh? Noh? Noh?!” O útimo barulho alto, que mencionou meu nome, finalmente me tirou do transe em que estava. Na verdade, eu não ouvi nada do que a Yuri me disse. Eu só a ouvi quando ela falou o meu nome pela terceira vez.
“S-sim?”
Minha clara falta de interesse fez a garota que chamou o meu nome inflar suas bochechas, revelando sua infelicidade. Mas logo em seguida, a careta se transformou em um sorriso. “Eu vou ficar com o laranja e você com o azul, okay?”
“Oh, claro. Quanto eles custam?” Eu tento dar à pessoa que nunca se chateou de verdade comigo um sorriso. Pego a minha carteira com a intenção de pagar, assim como qualquer outro bom namorado faria.
“Eu vou pagar por eles. Estou comprando isto para você, Noh.”
“Tudo bem. Você pode pagar quando comprarmos alguma coisa mais cara. Eu mesmo pago as coisas mais baratas.” Eu digo a ela em tom de brincadeira, mas esses chaveiros idiotas da Loft não estão exatamente do lado barato.
Yuri ri, “Claro!” Ela me dá um doce sorriso antes de irmos pagar no caixa.
Depois que recebemos nossos chaveiros, que estão em uma sacola amarela da Loft, Yuri imediatamente coloca-os em nossas mochilas da escola. Eu fico assistindo a ela focada colocando toda sua energia em prender os chaveiros. Depois de um breve momento, ela olha para mim com um sorriso e mostra sua obra. “Não o perca, okay?”
“Okay.”
Nós andamos de braços dados pela loja de departamento por um tempo, antes da Yuri reclamar que está com fome. Ela praticamente me implora para irmos da Siam Discovery para o Siam Center para comer alguma coisa. E como sempre, eu nunca nego seus pedidos.
Conversamos ao longo do caminho até chegar na livraria no meio do caminho. Yuri para e acena para alguém.
São Aim e Phun?!
Por anos e anos, eu nunca esbarrei com esses dois por acaso. Eu não sei como nós continuamos nos esbarrando tanto assim ultimamente.
“Vamos lá dizer um oi!” Yuri não espera por uma resposta e me arrasta para dentro da livraria. Ela ignora o fato de eu estar me esforçando para não sair do lugar. “Eu acho que não devemos incomodá-los.” Ela ainda está me ignorando.
“Aw, que coincidência. Eu vi você saindo apressada da escola, eu sabia que você tinha feito planos com Noh.” Aim diz a Yuri em tom de brincadeira assim que chegamos. Phun está lá parado olhando uma revista em silêncio. Eu realmente não sei o que dizer também.
“Só de vez em quando.” A garota ao meu lado dá um largo sorriso antes de agarrar nossas mochilas da escola para mostrar para a amiga.
“Olhe, olhe, olhe! Não são fofos? O Noh acabou de comprar para mim.”
“Eles são tão fofos! Phun, você vai comprar um para nós também?” Esta doença que faz com que as meninas queiram ser uma melhor que a outra é provavelmente uma epidemia. No momento que Aim vê os chaveiros (que eu acho completamente idiotas) em nossas mochilas, ela imediatamente puxa a manga da camisa do Phun enquanto ele ainda está lendo a revista.
Isso força Phun a dar uma olhada por curiosidade. “Hm?”
Aqueles olhos aguçados param nos chaveiros por um momento antes dele olhar para cima por uma fração de segundo e se vira Aim com um sorriso. “Oh, claro.”
“Vamos comprar um de casal como da Yu e do Noh?”
“Sim.”
“Wah! Imitões! Então, o que vocês estão lendo afinal?” Yuri interrompe a conversa entre eles antes de se dar permissão para virar a capa da revista que a Aim estava segurando. “Eh?! O que é isso?! Revista de Planos de Casamento?! Vocês nem terminaram o ensino médio ainda!” Isso me vez virar a cabeça rapidamente e olhar.
Phun finge olhar para o outro lado, para que ele não precise encontrar meus olhos antes de pegar uma revista diferente para folhear (agora ele está folheando uma revista de Formula 1). Há uma leve risada vinda da Aim. “Só estou folheando porque achei os vestidos bonitos.”
“Nossa, vocês estão com muita pressa? Noh, devemos olhar alguma também?” Yuri me pergunta em voz alta antes de me encarar, o que me assusta.
“Tem... tem certeza que é uma boa ideia?”
“Hahahaha.” Aim cai na gargalhada depois de ouvir minha resposta. As bochechas de Yuri estão infladas de novo.
“Você poderia ter continuado com a piada, Noh. Estou tão triste agora.” Como eu deveria saber que ela estava brincando?! Podemos ter concordado em ser um casal meio na doida, irmos a encontros na doida, não há nada ‘na doida’ quando se fala em casamento. Eu consigo pensar por mim mesmo também, sabia. -_-“ Yuri me bate duas vezes no braço como castigo.
“Nós não vamos mais incomodá-los, nós vamos comer alguma coisa. Vejo você na escola amanhã, okay?” Decidimos sair depois que tivemos a nossa conversar. Yuri dá tchau para os dois, que ainda estão segurando revistas. Decido acenar também e depois seguir Yuri até a saída.
Eu teria chegado lá se alguém não tivesse agarrado meu braço.
Eu hesito um pouco enquanto me viro para ver a mão que reconheço muito bem. A mão que está lentamente se movendo para baixo e entrelaçando seus dedos aos meus. O que ele está fazendo?! Eu olho para aquela mão e então para o rosto de Phun. A namorada dele parece não estar vendo o que está acontecendo.
Um pequeno sorriso se forma em seus lábios por um breve momento. Ele aperta minha mão bem forte antes de soltar.
Eu não estou entendendo o que Phun está tentando me dizer.
*****

4 Comentários